Para conhecer de perto a arte indígena no Quintana          

 

Nesta semana, no Quintana Café e Restaurante, o espaço recebe visitas ilustres. Membros das etnias Kaingang, do Paraná, e Fulni-ô, de Pernambuco, apresentam como é feito o artesanato indígena, uma das principais fontes de renda de seus membros. Cada item é feito manualmente, com minuciosa atenção aos detalhes, e representa parte importante desta cultura milenar.

No mês do Índio, o restaurante abre suas portas para evidenciar esta rica cultura dos ancestrais brasileiros, que hoje se mantém ativa por meio de um pequeno grupo da população indígena que sobreviveu aos diversos ataques sofridos ao longo dos anos. O objetivo é abrir caminho para a conscientização da população sobre sua importância, riqueza e sabedoria.

Nesta quarta-feira, 13 de abril, e sexta-feira, 15 de abril, é a vez de receber os membros da Kaingang, um dos mais fortes etnias da região sul do Brasil, que explicam e mostram como é feito o processo de confecção de suas peças. No sábado, o espaço recebe os membros da Fulni-ô, que estão em Curitiba especialmente para esta série de celebrações e reuniões em busca de melhorar sua qualidade de vida.

Aos clientes e interessados na causa, o convite é para uma leve imersão em um universo novo a alguns, mas que faz parte das raízes e história de qualquer cidadão brasileiro.

Serviço: Arte indígena no Quintana. Quarta-feira, 13 de abril, e sexta-feira, 15 de abril, com a etnia Kaingang. Sábado, 16 de abril, com a etnia Fulni-ô. Das 11h30 às 16 horas. Av. do Batel, 1440 – Batel. Informações e reservas: (41) 3078-6044. www.quintanacafe.com.br.